Home Facebook Twitter LinkedIn Feed Perfil Email
Nit Portal Social

↑ Grab this Headline Animator

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

SOGRA: MEGERA OU AMIGA?

Quem já não ouviu piadas sobre "sogra"? E, geralmente, não são muito agradáveis!
Na verdade, essa "queda de braços" entre noras/genros e sogras vem de longa data. Mulheres, quando se tornam mães, às vezes querem ter o domínio sobre a vida de seus filhos e não aceitam concorrência. E aí começam os problemas!
É preciso que tenhamos a consciência que não criamos filhos para nós mesmas e sim para o mundo. Dividir atenção e afeto não faz mal a ninguém, pois você tem e sempre terá o seu lugar reservado na vida de seus filhos. Sabendo conviver bem com essa realidade, tenho certeza de que os laços que serão criados entre noras/genros e sogras serão de respeito e afeto.
Que tal ter uma mudança de conduta e tentar ganhar a simpatia deles? Aqui ficam algumas dicas:
1 - Evite confrontos. Se em todas as conversas mantidas entre vocês, houver de sua parte críticas, o diálogo passará a ficar cada vez mais escasso.
2 - Procure se interessar em conhecer melhor quem está ao lado de seu filho/filha. Traga-o (a) para dentro de sua casa, de sua família, fazendo com que se sintam bem recebidos.
3 - Todo casal deseja privacidade. Respeite o espaço deles e só se manifeste, se solicitada.
4 - Não coloque seus filhos em situação de ter que fazer escolha. Isso só irá lhe causar problemas e estará também criando situações desagradáveis para eles.
5 - Busque sempre manter a família unida, quer na sua casa ou na casa de seus filhos. Crie ambientes de descontração, confiança e alegria para que todos se sintam bem.
6 - Desarme-se de preconceitos. Não é porque seu genro ou nora já traz filhos de outras relações, ou faz uso de piercing, tatuagem, que deverá ser "rotulado" por você. Procure conhecer a essência e não a "embalagem".
7 - Caso tenha que dar um conselho ou uma crítica a seu filho/a, jamais o faça na frente de seu genro/nora. Procure a hora e o momento certo para aconselhar.
8 - Não se intrometa na criação de seus netos. Conselho de avós é sempre bem-vindo, mas saiba como dá-los. Não existe Manual de Instrução de Como Criar Filhos, agimos quase sempre por instinto ou experiência de vida.
9 - Sentir a falta de um filho/a, quando de seu casamento, é um momento que todas nós mulheres teremos um dia que passar. Procure aproveitar agora para se dedicar mais a você, a ter aqueles cuidados com a sua vida que não conseguia, por ter que se dedicar a seus filhos.
10 - Saiba o momento certo de falar e também de se calar. Ao sentir que por algum motivo pode ter início uma discussão, "tire seu time de campo" e deixe para uma outra hora quando os ânimos estiverem menos exaltados.
Vou aproveitar para falar um pouco mais sobre a Síndrome do Ninho Vazio que geralmente ocorre a partir da saída do filho/a de casa, quer pela independência ou pela morte. Pense que ninguém se prepara para uma separação, quando ela acontece é que passamos a viver o momento de solidão. Mas sem essa de fazer drama, de parar de se interessar pela vida... Isso é passageiro e tem um tempo para terminar. Basta que surja uma nova ordem familiar. Busque novos interesses, ocupar seu tempo com atividades produtivas e verá que a solidão não terá mais muito espaço em sua vida. Mas, se de todo, a sensação de vazio e tristeza permanecerem, busque a ajuda de um profissional, que poderá contribuir a sua superação desse momento.
Filhos são como aves, que precisam ter a liberdade de alçar voos próprios, mas certamente volta e meia estarão visitando a "gaiola" que durante tantos e tantos anos serviu-lhes de aconchego e abrigo.

Como falamos anteriormente, uma das causas da ausência de um filho de nossa casa é pela doença. E este sim, é um momento de extrema fragilidade para os pais e que requer mobilização de toda a família e amigos. E foi pensando nisso, que nasceu o Instituto Alguem http://alguem.org/#/missao com o objetivo de dar apoio financeiro e emocional aos pais que tiveram os filhos diagnosticados com câncer. Ir para São Paulo chega a ser a única opção para quem precisa de tratamento imediato. O problema é que nem sempre as famílias têm condições financeiras para isso. É, também, nesse momento que o Instituto Alguem pretende entrar na vida das pessoas. Conheça mais um pouco dessa história de pais que transformaram a dor pela perda de seus filhos em atitude!

"Filhinho criado, trabalho encerrado! Agora é só vibrar para que siga seu caminho, que como de todos, é único!"

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui seu comentário é muito importante!

Leia também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares