Home Facebook Twitter LinkedIn Feed Perfil Email
Nit Portal Social

↑ Grab this Headline Animator

sexta-feira, 27 de maio de 2016

SERIAM SEUS OLHOS MAIORES QUE O SEU ESTÔMAGO?

Aqui está um desafio para você brincar com os seus sentidos: da próxima vez que seu cônjuge ou algum de seus amigos estiver preparando o jantar, coloque uma venda nos olhos antes que a comida seja servida. E então... sua experiência à mesa será afetada pelo fato de que você não estará enxergando?

Bem... se você é como as pessoas que participaram em experimentos que exploram a relação entre a visão e o paladar, pode-se dizer que provavelmente você acabaria comendo menos e não desfrutaria tanto.

Em um estudo publicado em fevereiro de 2016, pesquisadores alemães pediram a um grupo de 50 voluntários que vendassem os olhos enquanto comiam sorvete. Eles foram comparados com outros 40 indivíduos que podiam ver aquilo que estavam comendo. Consequentemente, as pessoas de olhos vendados consideraram o sorvete menos saboroso que aquelas que usaram todos os sentidos. Além disso, o grupo vendado comeu menos (apesar de ter calculado que comeu mais) do que quem não teve os olhos tapados.



Um outro pequeno estudo encontrou resultados similares quando os participantes provaram um almoço. Aqueles que tinham os olhos vendados comeram 22% menos do que o grupo de controle, porém relataram sentirem-se igualmente satisfeitos.

É possível que haja alguma verdade na expressão “Joãozinho tem o olho maior que a boca/estômago/barriga”. Em outras palavras, se a comida tem uma boa aparência, pode ser que você se veja motivado a colocar mais no prato (e assim comer mais também). Mas, se você consegue entender esse raciocínio, pode frear seu apetite.

De acordo com Paul Breslin, professor de Ciências Nutricionais da Universidade Rutgers, os aspectos mais relevantes na comida são o cheiro e o sabor, mas os cinco sentidos estão envolvidos em nossa degustação. E, eliminar qualquer um deles, como a visão ou até mesmo a audição, poderia implicar que a pessoa saboreasse menos a refeição e, por consequência, comesse menos.

Que nos lembremos disso da próxima vez que formos nos servir num restaurante com diversas opções aparentemente deliciosas!

Por Vanessa Scholar 


A ingestão excessiva de alimentos está diretamente ligada à obesidade e esta pode desencadear a doença hoje considerada como epidemia do século XXI, a Diabetes Melittus. Tratá-la quando se têm uma boa condição financeira não fica de todo difícil. Dificuldade mesmo têm aqueles que dependem da rede de saúde pública, hoje ineficaz devido à falta de profissionais, remédios, aparelhos e outros.

Exatamente quando mais se precisa é que se dá valor ao engajamento da sociedade em trabalhar em prol da parcela da população que não tem acesso à saúde.  E foi pensando nestas pessoas  que sofrem com a Diabetes Melittus é que a PRÓ-CRIANÇAS E JOVENS DIABÉTICOS contribui para o rompimento do círculo vicioso cruel - leia-se da DOENÇA SOCIAL (carência de recursos de toda ordem, miséria, desemprego, fome, moradias precárias, ausência de valores morais e afetivos, famílias numerosas, promiscuidade, baixa ou nenhuma instrução, ignorância, incapacitação pessoal e profissional do chefe de família, negligência de toda ordem, violência sexual e doméstica, drogas, alcoolismo etc.), mediante a prestação de assistência social sem finalidade de lucro – em nível domiciliar, em proveito das crianças e jovens diabéticos, com prioridade para as famílias de baixa renda.

Acesse o link, conheça o trabalho e participe!

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
Nit Portal Social
Planejamento/Gerenciamento, Monitoramento de Mídias Sociais para Empresas & Responsabilidade Social
Continue Lendo...

sexta-feira, 20 de maio de 2016

TRADUZINDO RÓTULOS DE ALIMENTOS! O QUE VOCÊ ANDA COMENDO?



Traduzimos os rótulos dos alimentos para vocês e o resultado pode ser assustador. Anote esta dica: se uma comida industrializada tem muitos ingredientes, e com nome pouco familiar, provavelmente não faz bem para você.

1 - Nugget de Frango - 
Fórmula: peito de frango, farinha de rosca, gordura vegetal hidrogenada, água, carne de frango, farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico, sal, proteína isolada de soja, amido, leite em pó, proteína vegetal hidrolisada, vinagre, ovo em pó, estabilizante polifosfato de sódio (INS 45²i), antioxidante eritorbato de sódio (INS 316), realçador de sabor glutamato monossódico (INS 621), espessante goma guar (INS 412) e aroma natural de pimenta branca.

Quando cientistas da Universidade do Mississípi analisaram nuggets de duas cadeias de fast food americanas, eles chegaram a conclusões de revirar o estômago: "Músculo estriado (carne de frango) não era o componente predominante em nenhuma das amostras. Gordura estava presente em quantidade igual ou maior, juntamente com epitélio, ossos, nervos e tecido conjuntivo". Sem contar as altas doses de sal e açúcar, que criaram algo descrito pelo pesquisador Richard D. Deshazo à Revista The Atlantic como algo parecido como uma super cola. Mas nem todos os nuggets são iguais e os cientistas da Universidade do Mississípi admitem isso.Um passeio em um supermercado brasileiro mostra que a versão de uma grande marca contém mais proteína que gordura (por pouco: 18 gr contra 14 gr e 27 gr de carboidrato). Possui também uma lista de 18 ingredientes, que começa com peito de frango e inclui gorduras e proteínas modificadas, espessantes, conservates e realçador de sabor. Eis mais uma pegadinha dos ultraprocessados: o hipersabor. Ao misturar gordura, sal, açucar e aditivos, criam-se fórmulas com um nível de palatabilidade acima do achado na natureza. Quem se acostuma a elas acha a comida caseira um tédio só.

2 - Refresco de laranja em pó - 

Fórmula: açúcar, maltodextrina, polpa de laranja desidratada (1%), fibra vegetal, ferro, ácido ascórbico (vitamina C), vitamina A, acidulante ácido cítrico, regulador de acidez citrato de potássio, aromatizante aroma sintético idêntico ao natural, antiumectantes (fosfato tricálcio, dióxido de silício), espessantes (goma guar, goma xantana, goma arábica), educorantes artificiais (aspartame  25,4 mg/100 ml), ciclamato de sódio (22,3 mg/100 ml), acesulfame de potássio (3,7 mg/100 ml) e sacarina sódica (1,8 mg/100 ml), corante inorgânico  dióxido de titânio, espumante extrato de quilála, corante caramelo IV, corantes artificiais: tartrazina e amarelo crepúsculo.

Não se deixe enganar pelas frutas suculentas ilustradas na embalagem ou pelo tom amarelo crepúsculo do corante artificial: polpa de laranja representa 1% do conteúdo do saquinho. O que mais há nele é açúcar, seguido por maltodextrina, um derivado do amido de milho ou da mandioca que também tem a função de adoçar, além de ser usado com frequência como "excipiente" de fórmulas, ou seja, para preencher espaço.

3 - Sorvete Napolitano - 
Fórmula: sorvete sabor creme com flocos de chocolate branco (água, açúcar, chocolate branco, gordura vegetal, xarope de glicose, soro de leite, leite em pó desnatado, maltodextrina, espessantes goma guar, goma jataí e carragena, , emulsificante mono e diglicerídeos de ácidos graxos, corantes naturais, urucum e cúrcuma e aromatizantes); sorvete sabor morango com flocos sabor chocolate (água, açúcar, flocos sabor chocolate - gordura vegetal, açúcar, cacau em pó, lactose, óleo de milho, leite em pó desnatado, emulsificantes lecitina de soja e ricinoleato de glicerila e aromatizante -, gordura vegetal, xarope de glicose, soro de leite, leite em pó desnatado, maltodextrina, aromatizante, corante natural carmim, espessantes goma guar, goma jataí e carragena e emulsificante mono e diglicerídeos de ácidos graxos) e sorvete de chocolate maltado (leite reconstituído integral, açúcar, extrato de malte, xarope de glicose, cacau em pó, maltodextrina, gordura vegetal, leite em pó desnatado, sal, espessantes goma guar, goma jataí e carragena, emulsificante mono e diglicerídeos de ácidos graxos e aromatizante).

Entendemos se você ficar perdido no mar de ingredientes acima (são mais de 20). Então vamos simplificar. O produto é dividido em três partes: sorvete sabor creme com flocos de chocolate branco, sorvete de chocolate maltado e sorvete sabor morango com flocos sabor chocolate. Mas, pode procurar, não há morango na fórmula, somente corante e aromatizante (sem contar açúcar, gordura vegetal e agentes que melhoram a textura do alimento como espessantes e emulsificantes). Em um teste no canal do youtube Do Campo à Mesa, a jornalista Francine Lima mostrou que um sorvete de massa industrializado com espessante continha também mais ar do que uma versão artesanal e que a outra industrializada importada sem espessante.
4 - Hambúrguer Congelado - 
Fórmula: carne mecanicamente recuperada de frango, água, gordura bovina, carne bovina, carne de ave, proteína vegetal de soja, maltotextrina, sal, coentro, aromas naturais de: carne, cebola, alho, pimenta preta, bacon e fumaça, estabilizante tripolifosfato de sódio INS 45¹i, corante natural caramelo INS 15ºa, antioxidante eritorbato de sódio INS316, realçador de sabor glutamato monossódico INS621. 

Dezenove ingredientes. Trinta e dois por cento do sódio que você deve ingerir em um dia concentrados em uma porção de 80 gr. Como principal componente, carne mecanicamente recuperada: também conhecida como os restos dos frangos que ficaram colados nas carcaças dos animais e foram arrancados com ajuda de máquinas. Bem melhor ficar no hambúrguer tradicional!

5 - Néctar de Laranja - 
Fórmula: Água, açúcar, suco de laranja concentrado (equivale a 32,7% de suco), ácido ascórbico (fonte de vitamina C), acidulante ácido cítrico e aroma natural de laranja.

Ok, você não acredita que um pó doce seja suco de verdade. Mas aquele da caixa longa-vida refrigerada com uma laranja fazendo splash deve ser, né? Então vire a embalagem para ver  a inscrição "néctar" e descobrir que suco só aparece em terceiro lugar - segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os ingredientes devem ser listados em ordem decrescente de proporção. E este suco aqui é concentrado, não aquele fresquinho que você espremeria em casa com laranjas compradas na feira. Até o fim de 2014 quando esta reportagem foi apurada, o néctar de laranja ou uva precisava conter um mínimo de 30% de suco para se adequar às normas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A partir de janeiro de 2015, esse percentual obrigatório subiria para 40% e após janeiro de 2015 para 50%.

6 - Maionese - 

Fórmula: Água, óleo vegetal, ovos pasteurizados, amido modificado, vinagre, açúcar, sal, suco de limão, acidulante ácido láctico, estabilizante goma xantana, conservador ácido sórbico, sequestrante  edta cálcio dissódico, corante páprica, aromatizante e antioxidantes ácido cítrico, bht e bha.

Se fizer sua própria maionese, é você quem escolhe o ovo - que precisa ser fresco - o azeite, o vinagre e a mostarda, sim - esta também tem conservante - mas você vai usá-la em pequena quantidade. Ou pode até dispensá-la.

7 - Iogurte de Morango - 
Fórmula: Leite integral/e ou leite integral reconstituído, açúcar, preparado de morango (água, açucar, cálcio, morango, amido modificado, vitamina D e E, ferro, zinco, acidulante ácido cítrico, corante natural carmim, aromatizante, conservador sorbato de potássio, espessantes carboximetilcelulose, goma carragena e goma xantana), amido modificado e fermento lácteo.

Você poderia comprar um litro de leite e fermento lácteo para preparar seu próprio iogurte e servi-lo com morango e um pouco de mel. Mas ele não viria em um pote colorido ilustrado com um bichinho simpático. Nem com a adição de vitaminas que ajuda a convencer consciências paternas. Nem com aromatizante artificial e corante tirado de insetos.

Como pudemos constatar, ao ingerir alimentos industrializados estamos ingerindo, também, uma gama de componentes que podem ser de alguma forma prejudiciais à nossa saúde. Um dos componentes que aparece em grande quantidade é o açúcar, causador do Diabetes Mellitus.
E, ao contrair a doença, será tratamento para toda a vida! Mas nem todos têm condições financeiras e plano de saúde que lhes ofereça um tratamento digno. Nestes casos é que entra a sociedade, através de instituições que prestam atendimento às classes menos favorecidas.

É o caso do Projeto ZELOUS que faz parte da JD Pró-Crianças e Jovens Diabéticos e oferece a população de baixa renda de São Paulo tratamento preventivo do diabetes tipo 1, vigilância da saúde em domicílio, visão holística do paciente/família e acompanhamento domiciliar automatizado e interligado utilizando, dentre outras ferramentas, o aparelho celular como principal linha de contato permitindo que o cuidador ou o paciente envie suas taxas glicêmicas para o sistema central que em tempo real monitorará virtualmente o estado de saúde do paciente bem como possibilitará o gerenciamento remoto/tratamento preventivo das crises agudas. Conheça este trabalho acessando o site!

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
Nit Portal Social
Planejamento, Gerenciamento, Monitoramento de Mídias Sociais para Empresas & Responsabilidade Social



Continue Lendo...

sexta-feira, 13 de maio de 2016

DESNUTRIÇÃO AFETIVA!

Venho de um tempo em que pelo menos uma das refeições diárias era realizada com toda a família reunida, ocasião utilizada para o encontro dos membros da casa, em que cada um se colocava à mesa e se manifestava sobre as experiências vividas em cada dia, alimentando não só o corpo, mas as ideias e os sonhos, que nos capacitavam a combater os medos e as angústias inerentes à vida.

Nesses encontros, realizados em torno da mesa do almoço, dialogávamos sobre a escola, amigos, notícias, necessidades, e a cada dia nos conhecíamos e reconhecíamos enquanto integrantes da família, nos bastidores de suas alegrias e pelejas cotidianas.
Em alguns encontros, havia discordâncias drásticas, que muitas vezes se tornavam discórdias e transformavam essa hora tão especial em um verdadeiro campo de batalhas. Ainda sim, no dia seguinte, estávamos todos novamente ali reunidos, superando as diferenças em prol da unidade e do respeito ao outro.

O que seria da vida sem as batalhas? O que seria dos seres que vivenciam as batalhas sem o alimento do amor? Naquelas ocasiões, aprendíamos lições que nem a escola, nem a universidade, nem o mundo dos cifrões eram capazes de ensinar. Aprendíamos a somar com as diferenças e a crescer, porque éramos afetivamente alimentados.
Às vezes, pedíamos aos nossos pais para nos levar a comer fora; e com ar poético, meu pai dizia que naquele dia jantaríamos no quintal, sob a luz do céu estrelado (naquele tempo, comer fora de casa acontecia apenas em eventos muito especiais).

Os anos se passaram e hoje percebo que comer em casa, na companhia dos entes familiares, tornou-se uma raridade, reservada apenas para dias festivos. Hoje, percebo que as pessoas (a maioria) comem na rua, em restaurantes cada vez mais lotados, acompanhadas por seus celulares, tablets, bips, com sua sonoridade barulhenta, onde muito se ouve, mas nada se escuta em profundidade. E onde muito se come, mas bem pouco se degusta.
Em meio a esse cenário, temos também televisores ligados para completar a trilha sonora do caos de nossos dias, empobrecidos de sentido. Todos os dias, a mídia divulga lançamentos digitais cada vez mais fascinantes, que fazem com que as pessoas trabalhem incessantemente para adquiri-los e se tornem cada vez mais equipadas, cada vez mais sozinhas. 

Na contramão de tantas invenções, coisas fundamentais estão sendo postas de lado, como alimentar-se, respirar, conviver, compartilhar. Soube que uma moça sul-coreana, Park Seo-Yeon, de 34 anos, tem ganhado cerca de 5.660 libras (cerca de R$ 16 mil), para se alimentar online, sendo assistida por milhares de pessoas, fatigadas pela solidão de comerem sozinhas.  Seo-Yeon se autodenomina "The Diva", e está fazendo muito sucesso na Coreia, de acordo com o jornal britânico "Daily Mail". Cada vez mais pessoas estão morando sozinhas e sofrem da "desnutrição afetiva", gerada pela solidão no momento das refeições.

Esse contexto me faz pensar no valor dos alimentos compartilhados para a vida emocional de cada um de nós e o quão comprometidos estamos conosco mesmos, quando corremos atrás de tantas coisas, mas deixamos para trás o fundamental, transformando as prioridades da vida em trivialidades, transformando em ruídos belíssimas sinfonias.
Por Marcela J. Dornelas
Psicóloga


Como o assunto é compartilhar alimentos, postamos aqui o trabalho da Ong Banco de Alimentos que atua com o objetivo de minimizar os efeitos da fome e combater o desperdício de alimentos, permitindo que um maior número de pessoas tenha acesso a alimentos básicos e de qualidade – e em quantidade suficiente - para uma alimentação saudável e equilibrada. Os alimentos distribuídos são excedentes de comercializações, perfeitos para o consumo. A distribuição possibilita a complementação aumentar a todas as pessoas assistidas pelas 42 instituições cadastradas no projeto, ou seja, mais de 21 mil pessoas.

A iniciativa da Ong Banco de Alimentos representa a formação de um ciclo sustentável: Ao passo que são arrecadados excedentes de produção e comercialização, diminui-se o acúmulo de lixo orgânico e o desperdício de alimentos próprios para consumo que complementarão a alimentação de milhares de pessoas em situação de risco alimentar e social. Há também desta forma, um favorecimento à inclusão social destes indivíduos por meio de melhoria da saúde e estímulo ao desenvolvimento psicomotor. Isso porque, além de visarmos uma alimentação balanceada por meio de realização de ações profiláticas e educativas voltadas às comunidades atendidas, beneficiamos somente instituições que possuam em seu programa ações de inclusão social.

Nossas ações procuram tratar, em conjunto, o problema da fome, ou melhor, das várias fomes, na sua origem, isto é, na forma em que a nossa sociedade está organizada e no grau de consciência dos indivíduos que a compõe. Se o consumidor muda, o fabricante muda. Se o eleitor muda, o político muda e assim por diante. Acreditamos que todo ser humano é co-criador da realidade e, portanto, cabe a nós promovermos a mudança que queremos ver no mundo.
Trata-se de uma ideia única por ser sustentável em diversos aspectos, evolvendo questões de responsabilidade ambiental, social, econômica e nutricional.

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
Nit Portal Social
Planejamento, Gerenciamento, Monitoramento de Mídias Sociais para Empresas &Responsabilidade Social


Continue Lendo...

domingo, 8 de maio de 2016

PROFISSÃO: MÃE!

Eis o trabalho mais difícil da face da Terra.

Ser mãe é seguir o turno de 24 horas, 7 dias por semana.

É estar acordada quando o resto do mundo dorme. É amamentar na madrugada e ver as luzes das janelas se apagando, até que só reste a sua.

Ser mãe é cheirar a leite por vários meses (e detestar!). E morrer de saudades de dar o peito, quando o filho desmamar.

Ser mãe é aprender a trocar fralda no escuro. Com direito a passar creme anti-assaduras, claro!

Ser mãe é preparar a primeira papinha com o maior cuidado do mundo, e levar um cuspe de volta.

Ser mãe é comer comida fria, é ser a última a se servir. Ou mesmo deixar de comer, para dar sua parte ao filho que necessite.

Ser mãe é querer que o filho se arraste, engatinhe e finalmente consiga andar. E quando ele aprende a correr, sentir saudades do bebezinho que ficava o dia todo em seu colo.

Ser mãe é nunca mais olhar para um termômetro que marca 37 graus do mesmo jeito. É passar a noite segurando a mão do pequeno, para se assegurar de que a febre passou.

Ser mãe é morrer de vontade de chorar ao ver o filho doente. E segurar a onda e sorrir, para não preocupá-lo.

Ser mãe é acordar cansada, depois de uma noite mal dormida. E apesar disso fazer tudo do mesmo jeito: dar banho, comida, brincar, trabalhar, cuidar da casa, e colocar o filho para dormir.

Ser mãe é se perguntar quando passará novamente um dia sem ouvir choro (minha filha tem três anos, e ainda não cheguei lá!).

Ser mãe é querer viajar sozinha, mas abrir mão disso até ter certeza de que seu filho ficará bem sem ela. E quando esse dia chegar, contar os dias para receber o abraço da volta.

Ser mãe é exercitar a paciência diariamente. E perdê-la de vez em quando, entre uma crise de birra e outra.

Ser mãe é ouvir do filho as mesmas palavras que lhe ensinou. E perceber que não basta falar, é preciso dar exemplo.

Ser mãe é sentir culpa por querer voltar ao trabalho. Ou largar tudo para cuidar de um filho, e sentir falta de trabalhar fora.

Ser mãe é aprender que, com duas mãos, é possível executar muito mais do que duas tarefas. Atender ao telefone, empurrar o carrinho, abrir a porta, escrever um bilhete, e dar a última colherada do prato são só alguns exemplos das combinações possíveis.

Ah, mas ser mãe também é…

Sentir aquela mãozinha tão pequena e tão forte, que segura seu dedo como que querendo dizer: “ei, estou aqui, agora você não está sozinha!”.

É poder afagar por alguns anos os cabelos de um pequeno anjo, enquanto ele está sob suas asas.

É acordar pela manhã com um abraço apertado, como se não se vissem há muitos anos! O mesmo vale para a saída da escola.

Ser mãe é mostrar uma flor ao filho, e reparar em sua beleza, como há tempos não fazia.
Ser mãe é se emocionar na primeira vez em que vê o filho repartindo o biscoito.
Ser mãe é ter direito de chorar na apresentação da escola, do ballet, no campeonato de natação, sem que ninguém a estranhe por isso.
Ser mãe é ter a casa cheia de risadas e de gritinhos de felicidade. É lembrar como se brinca de carrinho, de boneca, de esconde-esconde, de pega-pega.
Ser mãe é adquirir a coragem de fazer o que seu coração realmente deseja. Porque não há mais espaço para covardias dentro de si.
Ser mãe é tentar ser uma pessoa melhor a cada dia. Porque seu filho merece uma mãe que se aprimora com o tempo.

Enfim, ser mãe é descobrir que o coração é um espaço infinito. E que quanto mais se ama, mais amor cabe ali dentro.

Autor Desconhecido

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
Nit Portal Social
Planejamento, Gerenciamento, Monitoramento de Mídias Sociais & Responsabilidade Social
Continue Lendo...

quinta-feira, 5 de maio de 2016

QUANDO O PRECONCEITO ANDA LADO A LADO COM A VIOLÊNCIA!

É condenável que em pleno século XXI ­­­­­­ convivamos com uma sociedade desprovida de espírito, pois esta é alimentada continuamente por pensamentos preconceituosos. Pensamentos estes que vêm de ideias ou fatos passados, ocultos no interior da pessoa ou, por vezes,  expostos ao mundo de maneira convincente, criando raízes que perduram por décadas e séculos. 






IGUALDADE, MAS SEM PERDER A TERNURA!  



Ocasionalmente, o ser humano, apesar de emitir sentimentos,  pensa com a razão e o mesmo se proclama superior a outros animais. Logo, acaba por ser cruel e irracional pois não aceita a mudança de comportamentos e pensamentos novos, evidentes nos períodos atuais e se omite a pensar nos fatos passados de origens históricas, gerando em razão disso a violência, como forma de repúdio ao que para ele é inaceitável a essas transformações.

Um protótipo deste contexto é a crise de refugiados da Síria, movimento pelo qual pessoas estão a imigrar para países europeus, em busca de deixar para trás sofrimento, medo e miséria, devido aos conflitos existentes no Estado. Muçulmanos, negros e ciganos, procuram uma segunda oportunidade para reconstruírem suas vidas, mas há obstáculos pelo caminho. Ao pisarem em território estrangeiro sofrem com o forte sentimento de xenofobismo da população europeia e, como consequência, são obrigados a tolerar a violência tanto verbal como física de um povo selvagem e desumano, que não se solidariza ou se comove com o sofrimento alheio. 

Como a exemplo a cinegrafista húngara Lászlö foi surpreendida chutando sírios na fronteira com a Sérvia, ou em tal caso, como ocorre dos sérvios se verem obrigados a ouvir blasfêmias sobre sua religião: “ agora vão construir mesquitas? ”. Ou quando se é o único negro em uma cidade alemã chamada Erfurt: “ o africano de Erfurt”.




PERCEPÇÃO VISUAL: FAÇA SEU TESTE!

Até onde o ser humano será capaz de chegar?  O humanitarismo deveria ser praticado mais vezes.


Em face, não podemos nos eximir de nossas
responsabilidades em respeitar o próximo, pois como direito nosso, é um dever também. É irônico como deixamos nossas ações emanadas de pensamentos arcaicos acabarem por humilhar, ferir ou matar, todos os dias, pessoas que são apenas vítimas das ideias ditadas por uma sociedade egoísta e violenta.




AS DIFICULDADES DO DESAPEGO "MÃES E FILHOS"!



Devemos impor limites a esses atos, quebrar barreiras, implantar e trabalhar com o ideal de igualdade pois, acima de todo esse preconceito e violência, seja xenofóbico, homossexual, feminino, de cor, entre outros, somos iguais e detentores dos mesmos direitos e deveres.

E quando se trata de inclusão, o Viva Rio é uma organização comprometida com a pesquisa, o trabalho de campo e a formulação de políticas públicas com o objetivo de promover a cultura de paz e a inclusão social, cuja visão é ter uma sociedade que integre segurança e direitos civis, justiça e liberdade, desenvolvimento e meio ambiente, modernidade e diversidade cultural.

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
.https://www.facebook.com/nitportalsocial                        

Continue Lendo...

Leia também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares