Home Facebook Twitter LinkedIn Feed Perfil Email
Nit Portal Social

↑ Grab this Headline Animator

quarta-feira, 27 de julho de 2016

CHAKRAS E OS CRISTAIS!

Estamos vivendo um tempo onde a agressividade e a violência das pessoas figuram diariamente em nossas vidas. Vêm pelos jornais, revistas, televisão, rádio, redes sociais etc. E com isso nos sentimos angustiados, desprotegidos, muitos até desenvolvendo medos, síndromes e fobias. 

A medicina convencional oferece inúmeros tratamentos para estes tipos de desequilíbrio, mas não basta cuidar apenas de nosso corpo, já que ele é reflexo de nosso espírito. Se este não vai bem... o corpo "reclama"! Qualquer ser humano possui corpos sutis que os liga com todas as coisas e segundo a filosofia iogue são chamados de chakras. Dos muitos chakras existentes no corpo humano vamos falar sobre os sete identificados como maiores. (Nota do Nit Portal Social)

COZINHA PARA DIABÉTICOS 


Dispostos desde a base da coluna vertebral até o alto da cabeça, cada um corresponde a uma das sete principais glândulas do corpo humano. Cada um destes chakras está em estreita correspondência com certas funções físicas, mentais, vitais ou espirituais. Num corpo saudável, todos esses vórtices giram a uma grande velocidade, permitindo que a "prana" (palavra em sânscrito que significa a força da vida, a bioenergia invisível ou a energia vital que mantém o corpo vivo e saudável) flua para cima por intermédio do sistema endócrino. Mas se um desses centros começa a diminuir a velocidade de rotação, o fluxo de energia fica inibido ou bloqueado - e disso resulta o envelhecimento ou a doença.

Os sete principais Chakras ficam localizados ao longo da coluna vertebral do corpo humano e, segundo a Tradição Hindu, seguem as cores do arco-íris. 

Confira abaixo o significado de cada um:

CHAKRA CORONÁRIO

Cor: lilás e dourado

Pedras mais usadas: Quartzo Branco, Ametista, Diamante, Fluorita

Representa nossa ligação com o Alto, a Energia Superior, o Universo. A sua função principal é evoluir, ascender e se aprimorar como ser humano.

Percebemos o Chakra Coronário em desequilíbrio quando apresentamos falta de inspiração, confusão, tristeza relacionada à falta de esperança, alienação ou hesitação em servir ao bem comum.

VIDA EQUILIBRADA!


CHAKRA FRONTAL

Cor: azul índigo

Pedras mais usadas: Sodalita, Azurita, Lápis Lazuli, Cianita

Representa a mente e a intuição. A função dupla desse chakra faz com que ele seja um dos mais difíceis de manter o equilíbrio, pois o excesso de uma característica leva à falta da outra.

Quando em desequilíbrio, pode desencadear falta de concentração, medo, cinismo, tensão, pesadelos, e excesso ou falta de sono. Também é recorrente ter um acúmulo de pensamentos.

CHAKRA LARÍNGEO

Cor: azul claro

Pedras mais usadas: Água Marinha, Quartzo Azul, Turquesa, Larimar

Tem ligação com a maneira que cada um se expressa. A função principal desse chakra é o se expressar. Por isso, a autoexpressão e a comunicação são as palavras-chaves dele. Ajuda a relacionar e exteriorizar o que sentimos e o que pensamos.

QUALIDADE DO AZEITE: COMO RECONHECER!


Percebemos que o Chakra Laríngeo está em desequilíbrio quando apresentamos problemas na comunicação - geralmente a falta dela - o uso insensato do conhecimento e a falta de discernimento. Nesse caso, a pessoa pode falar demais ou dizer bobagens por querer esconder o que sente. Num outro extremo, pode tender a falar pouco e "engolir sapos".

CHAKRA CARDÍACO

Cor: verde e rosa

Pedras mais usadas: Quartzo Rosa, Quartzo Verde, Turmalina Melancia, Esmeralda

Simboliza o centro das emoções. Esse chakra é o centro do amor e sabedoria nas relações emocionais. Gera estabilidade e confiança, além de trabalhar as manifestações reprimidas e as feridas emocionais.

Quando o Chakra Cardíaco se mostra em desequilíbrio, pode gerar repressão do amor, instabilidade emocional, sensação de opressão e/ou peso no peito.
Chakra Cardíaco é estimulado pela maternidade.



CHAKRA PLEXO SOLAR

Cor: amarelo

Pedras mais usadas: Citrini Amarelo, Cristal com Enxofre, Topazio Imperia, Calcita Amarela

É onde "mora" o ego de cada um, representa a força do indivíduo. Sua funções primordiais são o poder e a vontade. Também mostra como está nossa digestão (de situações), nossos humores e controle.

Quando o Plexo Solar está com excesso energético pode gerar egoísmo, egocentrismo, fúria, medo, ódio e dificuldade em assimilar/digerir. E quando está com baixa energia, a pessoa fica apática, sem força de vontade e insatisfeita.

CURSOS 24 HORAS!


CHAKRA SACRO

Cor: laranja

Pedras mais usadas: Jaspe, Ágata de Fogo, Granada, Coral

Tem ligação com a criatividade e a vitalidade. As funções principais do Chakra Sacro são sexualidade, vitalidade e criatividade. Ele corresponde à nossa autoestima, à energia sexual e à expressão do "eu" através da sexualidade e/ou criatividade. É no centro energético do bem-estar físico, do prazer e da realização que se percebem as mágoas, sentimentos de culpa e medo (pecado).

Quando este Chakra está em desequilíbrio pode gerar dificuldades sexuais, ausência de objetivos, sentimento de impotência, confusão, ciúme, inveja ou desejo de possuir. Impacta diretamente no desejo e na vontade de viver, alcançar outros patamares, enfrentar desafios e viver o presente.

CHAKRA BÁSICO

Cor: vermelho

Pedras mais usadas: Turmalina Preta, Quartzo Fumê, Ônix, Hematita

A sua função é a sobrevivência, que inclui a própria segurança e as necessidades físicas básicas, tais como comer, beber e dormir, além do sexo e do abrigo.

Quando está em desequilíbrio, pode gerar insegurança, falta de "gana", atitudes mais violentas, ganância ou fúria. A pessoa ainda apresenta uma demasiada preocupação com a própria sobrevivência, tensão, o "viver para ter".

Conhecer os Chakras pode ser proveitoso, pois ajuda a buscar o equilíbrio e desafia as pessoas a se autossuperarem. Para que isso aconteça, é preciso investigar qual Chakra encontra-se em desequilíbrio, ou seja, com excesso ou falta de energia. A partir do momento que enxergamos o negativo e a crise como parte de um processo, iniciamos um movimento de autoaperfeiçoamento, que representa um impulso para o movimento, o crescimento, o aprendizado e a evolução.

CURSO DE CROMOTERAPIA!



A maneira ideal de saber como estão nossos Chakras é através do autoconhecimento. Mas como as vezes a autoanálise é difícil, temos algumas ferramentas que nos ajudam a perceber esses desequilíbrios. A interpretação energética por meio de um questionário ou a medição dos chakras com um pêndulo pode ser feita por um bom terapeuta holístico, que mapeia o que está em desequilíbrio.

É importante entender que os "opostos", como o excesso e a falta energética, completam-se. Isso significa que eles funcionam como sinalizadores, mostrando onde não estamos sendo verdadeiros conosco e em que aspecto poderemos melhorar.

Para equilibrar e ativar cada um dos Chakras, é possível fazer uso de ferramentas terapêuticas, como meditação, visualização, pedras e cristais. Confira abaixo um passo-a-passo de meditação e visualização, e abra as portas para um novo mundo: o seu Eu interior.


MEDITAÇÃO COM A PEDRA DO CHAKRA

Faça a meditação entre 10 e 20 minutos. Para começar, coloque a pedra sobre o chakra em desequilibrio ou entre as mãos.
Sente-se em posição confortável. Relaxe o corpo e respire lenta e profundamente. Olhe detalhadamente a pedra por algum tempo, até ser capaz de fechar os olhos e "vê-la" em todos os seus detalhes. Continue respirando profundamente, deixando os pensamentos fluírem, sem querer apagá-los ou detê-los.
Quando tiver alcançado um nível razoável de relaxamento, "veja" a pedra em pensamento. Numa contagem de 1 a 7 ela vai crescendo dentro da sua visualização até ficar do tamanho de uma montanha.
Assim que a pedra atingir esse tamanho, veja você mesmo andando na superfície da pedra e a explore. Percorra-a por fora e, se encontrar algum caminho, explore-a por dentro também.
Assim que estiver satisfeito com suas explorações, volte ao lugar onde começou e conte novamente de 1 a 7. Mas dessa vez visualizando a pedra diminuir até o tamanho normal.
Respire profundamente algumas vezes e movimente-se delicadamente para voltar ao estado de alerta normal. Abra os olhos.
Escreva tudo o que viu, ouviu ou sentiu durante sua visualização. Essa mentalização pode ser feita uma ou duas vezes na semana.


Continue Lendo...

sexta-feira, 22 de julho de 2016

EXTRATO DE SOJA BIOTRANSFORMADO NO COMBATE AO CÂNCER DE MAMA!

A medicina ainda é contraditória quanto à prescrição de componentes da soja em terapias de reposição hormonal para mulheres na menopausa. Mas, perseguindo os efeitos dessas substâncias há mais de duas décadas, em estudo inédito no mundo feito por especialistas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, descobriu que um extrato de soja biotransformado é capaz de destruir células de tumores de mama.

O trabalho, publicado recentemente na revista inglesa Nutrition and Cancer, usou um extrato desses, especialmente fabricado nos laboratórios da FCFRP, para os testes com células de dois tipos de câncer de mama: um tumor dependente de estrógeno e outro, não dependente.

Após o ensaio laboratorial de 24 horas, as duas linhagens de células tumorais responderam ao tratamento, apesar do tipo dependente ter sido o mais sensível.

Pesquisadores acreditam que a "interação das moléculas presentes no extrato de soja biotransformado com os receptores de estrógeno presentes nas células dependentes de estrógeno, pode ser um dos motivos para explicar a maior sensibilidade desta linhagem à morte celular. Mas adiantam que a outra linhagem estudada (não dependente de estrógeno), também devem sofrer o mesmo efeito com maior tempo de tratamento com extrato de soja.

Vale ressaltar que o estudo sobre o poder do extrato da planta biotransformado é inédito no mundo!

Como sabemos essa doença não escolhe sexo, etnia ou faixa etária. Também crianças são portadoras da doença, têm necessidade de tratamento quimioterápico e com isso vem a perda de seus cabelos. 

Existem diversas formas de se ajudar uma criança com câncer, mas poucos sabem que uma dessas maneiras é a doação de cabelos. Em outubro 2013 as amigas Mylene Duarte e Mariana Robrahn começaram um projeto que tem como objetivo central ajudar crianças com câncer. A ONG criada por elas, conhecida como CABELEGRIA, realiza ações simples como a de receber doações de cabelos e os transformar em perucas.

São necessários cerca de 200 gramas de cabelo para se confeccionar uma peruca, ou seja, o CABELEGRIA precisa de muitas doações. Ainda não há parceria com alguma instituição, pois não existe um número grande de perucas para as crianças.

Acesse o site, participe, divulgue com seus amigos e ajude a aumentar a autoestima desses "baixinhos"!

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
Nit Portal Social
Planejamento, Gerenciamento, Monitoramento de Mídias Sociais para Empresas e Responsabilidade Social


Continue Lendo...

quarta-feira, 20 de julho de 2016

HOMEOPATIA x ANTIBIÓTICO, CONHECENDO PARA SABER USAR!

Atualmente, existe um pânico, sentido em escala global, sobre a falta de um antibiótico que promova o mesmo efeito da penicilina descoberta por Fleming, em 1928. Desde aquela época, somente surgiram outros, porém oriundos dela mesma, mais de 14 tipos, e ainda são as mais eficazes no tratamento alopático das variadas infecções.





ESTOU COM HERPES LABIAL, O QUE FAZER?  


O que acontece, então, se alguém fizer uso em demasia, sem a real necessidade, de determinado antibiótico? Para a alopatia, isso se chama resistência à penicilina. Significa que se a pessoa fizer mais e mais uso de antibióticos, para qualquer tipo de problema, não surtirá o efeito esperado, pois as bactérias se tornaram imunes à sua ação, ou seja, no passado, o mesmo remédio debelava aquele problema e, hoje, não mais.

Com isso, o sistema imunológico torna-se cada vez mais frágil e, o agente adoecedor, mais resistente. O grande problema é que as penicilinas não são tão eficazes para todos os tipos de infecção, mas as pessoas desconhecem isso e ingerem sem controle, como automedicação, para qualquer suspeita de inflamação.







ENVELHECIMENTO PRECOCE, COMO EVITAR?  


A corrida desesperada pela busca de novos antibióticos está levando os cientistas a uma façanha incomum, que é de tentar produzir novo remédio a partir de DNA de bactérias jurássicas. Como são em média 60 milhões de anos anteriores ao surgimento do homem, existe a esperança de conseguirem que faça efeito à população mundial.

Tamanha audácia é devido ao número alarmante de indivíduos que, se hoje tivessem que realmente fazer uso do antibiótico para combater uma pneumonia ou sepses, viriam a óbito pelo antibiótico não surtir efeito. Ingerimos muito antibiótico na alimentação, no leite, na carne e ovos, este é um imenso fator de risco. Além disso, quando alguém faz seu uso, solta resíduos na urina que contaminam os rios e que volta para a nossa torneira por não existir meios de como retirar o antibiótico no tratamento da água.



PERCEPÇÃO VISUAL: FAÇA SEU TESTE! 






Com isso, seres inofensivos presentes no meio ambiente, tornam-se super vilões, super bactérias, pois ficam resistentes ao ingerir o remédio em excesso nos cursos de água onde viviam. Ao tomarmos água da torneira, entramos em contato com o antibiótico e com as bactérias resistentes, aumentando nossa suscetibilidade a infecções e à resistência aos remédios.

Além do exposto, pesquisas recentes concluíram que um em cada seis casos de câncer - 2 milhões por ano - tem origem em infecções e cerca de 80% destes casos acontecem em países em desenvolvimento.

É uma cadeia de adoecimento que não tem fim. Ao final, quem sobreviverá? Aqueles seres humanos que o organismo conseguiu se adaptar a tantas agressões e mostrou que é capaz de se manter saudável em meio a tamanho caos que o homem criou na natureza. Para tanto, temos que nos fortalecer. Este é o único caminho que poderá nos manter imunes e cortar este elo.


SEM GLÚTEN, SEM LACTOSE... MODISMO OU TRATAMENTO? 





Uma alimentação mais saudável a base de frutas, verduras, legumes, sucos da fruta in natura, exercícios físicos e higiene mental e emocional são realmente o que temos como salvação.

Se estiver fazendo uso de anti-inflamatórios ou antibióticos, pode usar de forma concomitante à homeopatia sem prejuízo para o efeito de ambos. A homeopatia tem o poder de trabalhar em você de forma integral, de fazer uma varredura em todo o seu ser e de tratar onde há necessidade. Como ela faz isso? Os remédios da homeopatia são quânticos, nós somos seres quânticos. Então, se ingerirmos uma homeopatia que possui a informação correta do que necessitamos, esta vibração atuará entrando em ressonância e limpando só o que for necessário naquele momento.

Os remédios da homeopatia não trabalham com a matéria do elemento químico, mas com sua versão quântica, com a informação eletromagnética do elemento a uma velocidade superior a do pensamento, além de ir muito além da nanotecnologia. Ela não mata os vírus ou bactérias, mas torna o homem saudável, modificando sua frequência quântica e, assim, estes seres não possuem mais o habitat ideal naquele corpo. 

 
COMO ANDA SUA ENERGIA VITAL? 
 

Ela não ataca o organismo para debelar o invasor, tornando-o mais frágil, e sim fortalecendo-o como um todo, indo na origem do por quê ele está mais fragilizado. Esta informação em forma de luz, de onda eletromagnética, é ressonante e invade todos os sistemas e células limpando e equilibrando, assim como as mágoas, as tristezas, as inseguranças e decepções que levaram a pessoa a adoecer naquele órgão que possui mais predisposição hereditária.


Por Eliete Fagundes  



Mitos e Verdades sobre Homeopatia:


Desde a década de 80, a homeopatia é reconhecida no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) como uma especialidade médica. Mesmo tanto tempo depois, ainda há muitos mitos acerca de seu uso no tratamento de doenças.

Medicamentos homeopáticos podem ser consumidos por qualquer faixa etária?

Verdade. Os remédios homeopáticos podem ser indicados em qualquer idade.

— Desde crianças pequenas até idosos podem se beneficiar do tratamento homeopático, mas é importante que o medicamento seja prescrito com orientação médica.

A homeopatia só é eficiente em doenças crônicas?


TCHAU TRISTEZA... ADEUS DEPRESSÃO! 


Mito. Não existe diferença de tratamento de uma doença crônica para aguda.

— Ambas as doenças podem ser tratadas pela homeopatia com eficiência.



O tratamento pela homeopatia é mais longo do que seria o tratamento com remédios convencionais?

Mito. A duração ou a resposta a um tratamento homeopático não é necessariamente mais longo ou mais lento que o alopático. A duração do tratamento homeopático depende do tempo de doença, dos tratamentos realizados anteriormente e da idade do indivíduo.

A homeopatia pode ser considerada uma medicina preventiva?

Verdade. Com o tratamento homeopático, as crises de certas doenças crônicas, como rinite, asma e gripes recorrentes, se tornam cada vez mais raras, chegando a praticamente cessar em alguns casos.

A HORA E A VEZ DO ANTICONCEPCIONAL MASCULINO!


Existem doenças que não respondem à homeopatia?

Mito. O que existe são doenças que evoluem rápido e ou podem causar lesões irreversíveis a órgãos, como cirrose e enfisema. Nestes caso, o tratamento tradicional é complementado com o da homeopatia para obter uma melhora na qualidade de vida do paciente. Outro exemplo clássico é no tratamento do câncer, no qual a homeopatia como tratamento paralelo serve para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia.

Para a homeopatia, as doenças somente surgem quando há um desequilíbrio emocional?

Mito. A homeopatia defende que o desequilíbrio emocional pode provocar doenças, porém, nem sempre o emocional está por trás de uma enfermidade — e, mesmo quando está, não costuma ser o único fator desencadeador.

No tratamento homeopático o paciente deve consumir medicamento em forma de bolinhas de hora em hora. Essas bolinhas em quantidade exagerada podem causar reação?

GANHAR DINHEIRO COM VELAS AROMÁTICAS! 


Verdade. Independentemente do medicamento, quando utilizado de forma inadequada ou exagerada, pode causar problemas.

— No tratamento homeopático existem remédios que são 'antídotos' de outros. Estas reações têm características diferentes das reações dos medicamentos alopáticos, mas existem.

Os remédios homeopáticos são menos agressivos para o organismo do que os alopáticos?

Verdade. Os medicamentos homeopáticos são isentos de efeitos colaterais.

"REPÚBLICA PARA IDOSOS" ALIVIANDO A SOLIDÃO DA TERCEIRA IDADE!



— São manipulados a partir de substâncias de todos os reinos animal, vegetal e mineral e, posteriormente, são diluídos e dinamizados para extrair o máximo de efeito terapêutico com o mínimo de substância. Eles não são tóxicos, mas como já foi dito na questão anterior, independentemente do medicamento, caso haja uma ingestão acidental de uma dose alta, o médico deve ser procurado imediatamente.


Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
https://www.facebook.com/nitportalsocial                        
Continue Lendo...

quinta-feira, 14 de julho de 2016

CRIANDO LAÇOS AFETIVOS COM AS CRIANÇAS ATRAVÉS DE CONTOS E HISTÓRIAS!

"Para um bebê pequeno o enredo não é tão importante, o que surte efeito é o tom de voz carinhoso."

Ouvir histórias é um acontecimento tão prazeroso que desperta o interesse das pessoas em todas as idades. Se os adultos adoram ouvir uma boa história, um "bom causo", a criança é capaz de se interessar e gostar ainda mais por elas, já que sua capacidade de imaginar é mais intensa.

A narrativa faz parte da vida da criança desde quando bebê, através da voz amada, dos acalantos e das canções de ninar, que mais tarde vão dando lugar às cantigas de roda, a narrativas curtas sobre crianças, animais ou natureza. Aqui, crianças bem pequenas, já demonstram seu interesse pelas histórias, batendo palmas, sorrindo, sentindo medo ou imitando algum personagem. Neste sentido, é fundamental para a formação da criança que ela ouça muitas histórias desde a mais tenra idade.

Algumas crianças não têm ambiente favorável à leitura em casa, mas há outras que ouvem histórias lidas pela família.  "Se for criado um ambiente de leitura nas escolas, as crianças levarão a prática para suas casas. E vice-versa, haverá crianças que trarão leitura para a escola" argumenta Regina Zilberman.

Logo, a família é a primeira responsável por conduzir as crianças ao mundo da fantasia dos contos, por isso sempre havia uma avó, um pai, mãe ou tia a fazer, através da oralidade, o primeiro contato da criança com esse maravilhoso e encantado mundo da leitura. À hora de dormir, o sono infantil era sempre embalado por alguém de voz delicada e/ou marcante que dedicava tempo a contação de histórias e esta contava, contava e recontava mil e uma aventuras diferentes, parecidas, estranhas e conhecidas, abrindo assim as portas para o mundo da imaginação, da ficção e da fantasia. E era essa fantasia que possibilitava às crianças, sem sair do lugar, a inesquecível descoberta de outros lugares e outros tempos, numa vivência das mais diferentes emoções (o riso, a amizade, o choro, o susto, a tranquilidade), descobrindo soluções para os próprios conflitos, vivendo outros papéis, identificando-se com personagens, enfim, abrindo os olhos para a vida, para o mundo da imaginação e do pensamento, e vendo a vida com outros olhos, realizando assim a sua leitura de mundo.

A criança passa a interagir com as histórias, acrescentam detalhes, personagens ou lembra-se de fatos que passaram despercebidos pelo contador. Essas histórias reais são fundamentais para que a criança estabeleça a sua identidade, compreender melhor as relações familiares. Outro fato relevante é o vínculo afetivo que se estabelece entre o contador das histórias e a criança. Contar e ouvir uma história aconchegada a quem se ama é compartilhar uma experiência gostosa, na descoberta do mundo das histórias e dos livros


Acreditamos que a literatura infantil é um recurso importantíssimo para o desenvolvimento das crianças, porque desenvolve, principalmente a criatividade, a imaginação, leitura e a oralidade, podendo ser trabalhada em qualquer época da vida da criança.

"o primeiro contato da criança com um texto é feito oralmente através da voz da mãe, do pai ou dos avós, contando contos de fadas, trechos da Bíblia, histórias inventadas, livros curtinhos, poemas sonoros e outros mais, é importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas histórias e escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor e ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo." (ABRAMOVICH, 1994, p. 16-17).

Entretanto, o que vemos atualmente são muitas crianças que jamais ouviram alguma história contada por seus familiares. Por que isso? Talvez pelo fato de os meios de comunicação de massa terem assumido o papel da conversa dentro da família, mas não vamos entrar nesse mérito.    

Um ambiente onde se lê muito e com prazer proporciona boas condições para que as crianças venham a apreciar a leitura e os livros. Partilhar o prazer e a utilidade da leitura com os filhos ajudá-los-á, certamente, a sentirem-na como um prazer e uma necessidade de ler.


Estendendo um pouco mais esse assunto devido à importância que tem, deixamos aqui um artigo publicado na Revista Caras, "Contar histórias para o bebê cria laços afetivos", e saiba como e quando começar.

A escritora e contadora de histórias Vanessa Meriqui fala sobre os benefícios de ler para as crianças desde a gestação e ensina técnicas para encantar os pequenos.

Quais os benefícios de ler para a criança desde cedo?

Ler em voz alta, suavemente, propicia o vínculo amoroso e a memória afetiva. O contar histórias tem como matéria-prima o afeto. E quando uma criança é tratada com amor, isso a prepara para o futuro, pois uma pessoa amada tem condições de sentir-se segura e enfrentar situações difíceis, de encarar o futuro com mais coragem.

Além disso, ouvir histórias desde cedo possibilita que a criança tenha contato com um vocabulário maior, o que é bom para sua formação. E, claro, o ato de contar histórias estimula futuros leitores desde a tenra idade, o que é fantástico para a educação de nossas crianças.

Existe uma idade ideal para começar?

Costumo dizer que histórias são indicadas para pessoas de 0 a 110 anos! Na verdade, uma das coisas mais ternas que uma mãe pode fazer é contar histórias para o bebê ainda na fase de gestação. Engana-se quem acha que o feto não ouve. Ele ouvirá e reconhecerá sempre aquele tom de voz, aquele carinho, aquela entrega. Confira todo o artigo acessando Revista Caras.

Mas não são só os "baixinhos" que gostam de ouvir histórias! Os "altinhos" e, principalmente, aqueles que se encontram em estado de vulnerabilidade também! 

Por isso,  o Instituto História Viva, de Curitiba, sem fins lucrativos, treina e forma voluntários para atuar contando histórias para pessoas que estão em situação frágil, como em hospitais. Não há um perfil ou pré-requisito para ser um voluntário como se poderia supor. Roseli Bassi, empreendedora social e diretora do História Viva, explica que a voluntária mais nova tem 12 anos e a mais idosa tem 83. 

“Não exigimos nada de quem deseja ser voluntário. Todos os perfis são respeitados. Pode ser uma pessoa mais tímida, mais extrovertida. A única coisa que, caso a pessoa não tenha e vai precisar desenvolver é o hábito da leitura”, explica Roseli.  

Ao longo de uma década de história, formou mais de 2 mil voluntários e, por ano, atende 14 mil pessoas em situações de fragilidade física e emocional.

Conheça melhor esse trabalho, veja se eles atuam em sua cidade e seja voluntário!!!

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
Nit Portal Social
Planejamento, Gerenciamento, Monitoramento de Mídias Sociais e Responsabilidade Social



Continue Lendo...

quarta-feira, 13 de julho de 2016

VOCÊ TEM FOME DE QUÊ?


Folheando algumas revistas antigas encontrei uma pesquisa realizada com crianças em fase escolar, onde foram apresentadas a elas figuras de outras crianças cadeirantes, com muletas, com desfigurações faciais e gordas, de longe as obesas foram as mais rejeitadas

Esta pesquisa demonstrou que a discriminação começa na tenra infância onde a identidade social e psíquica está em formação e quem vem sendo perpetuado ao longo da história, exemplo disso, não falta. Mulheres obesas recebem salários menores, são questionadas no desempenho produtivo pela frequente associação entre o peso e os problemas de saúde. Voltando a questão do impacto da obesidade e imagem corporal nas crianças, temos aí uma gama de filmes e contos de fadas com príncipes e princesas magérrimas, lindíssimas, repletas de qualidades e se fossem reais, poderíamos dizer que fizeram cirurgia plástica ou sofrem de algum distúrbio alimentar como a anorexia. São padrões impostos que não poupam nem os nossos pequenos!

Mas um roteiro da Disney muito chamou atenção pelo paradoxo desta realidade. Quem se lembra do Shrek, um ogro feio, gordo, mal humorado e desonesto, quando lhe convinha, um verdadeiro herói às avessas. E mesmo diante dos seus defeitos e qualidades, uma linda princesa, a Fiona se apaixonou por ele do jeito que era, o amor de ambos foi além das diferenças, dos estereótipos e vencendo os preconceitos, a princesa abriu mão da sua bela forma para se assemelhar à forma física dele.
filme de animação


Hoje é lamentável a busca incessante pelo ideal de beleza - corpos perfeitos preparados para a competição desfilando num mundo consumista e superficial de juventude constante, sinônimo de autoestima e autonomia.

Participei do VII Congresso Brasileiro de Transtornos Alimentares e Obesidade, muitos estudiosos da área reforçaram o impacto do stress no ganho do peso, as alterações do comportamento alimentar e da imagem corporal com o crescente avanço de doenças como bulimia, anorexia, compulsão alimentar e desenvolvimento de outros quadros depressivos, transtorno do pânico, personalidade borderline, alcoolismo, controle dos impulsivos, entre outros. Mas não foi sempre assim.

Entre as décadas de 20 e 50 o corpo mais robusto passava a ideia de fartura, saúde e prosperidade. Segundo a * Dr. Sant´Anna, foi somente na década de 60 que o culto da beleza ganhou espaço, as propagandas associavam o excesso de peso a doenças. Nesta época a Revista Cláudia fez a primeira matéria sobre celulite e a balança (Filizola) foi inserida nas farmácias, assim, o controle do peso passou a se relacionar diretamente com a pessoa. A ideia de riqueza, sucesso, mobilizou a subjetividade para a nova identidade; ser magro.

Por outro lado nunca se apelou tanto a propagandas de alimentos nocivos e fast food sem qualidade nutritiva, se come na rua, se pede em casa. É contraditório, cruel e desumano. Quem sofre é o obeso e compulsivo que vive de (e para) regimes restritivos e punitivos, sentindo o corpo preso num cárcere. Já ouvi alguns afirmarem "este corpo não me pertence, vou emagrecer pra renascer num corpo desejante", ou seja, o que motiva é aceitação social, autoestima, novas experiências e satisfação emocional, afetiva, sexual e social. Lidam mal com as sensações físicas de fome física e fome emocional. São frágeis e seu mundo interno é carente de satisfação, por isso, sentem raiva, irritabilidade, frustração, desesperança, sensação de perda de controle, vazio e medo de nova rejeição. É comum ouvir de leigos e até colegas profissionais que o obeso não tem "força de vontade" ignorando os inúmeros fatores que o levaram a este quadro, por isso, este tratamento deve ser realizado por especialistas da área, concomitante, a uma equipe multiprofissional formada de psicólogo, nutricionista, professor de educação física e psiquiatra.

Neste tratamento além dos relatos das experiências de rejeições sofridas, dos olhares externos de repúdio e hostilidade, apelidos pejorativos e toda simbologia que a gordura significa; substitui-se a pessoa pela identidade de "gorda". É imprescindível que o psicólogo mantenha uma escuta contextualizada e individualizada ao identificar questões fundamentais; o que o leva a colocar o alimento em função de desejos e necessidades que não tem relação com a "nutrição fisiológica"; Qual função da comida, o que ela substitui e representa?  Não será fácil mexer nas cicatrizes da infância, nas situações ignoradas, mas já é hora de sair da defensiva; os obesos têm a tendência a olhar o corpo como algo que não lhes pertence, então, não se comprometem com aquilo que não é seu! Neste sentido, será preciso o compromisso com o árduo processo de autoconhecimento, mudança de comportamentos e pensamentos para adquirir autonomia das escolhas futuras.

Para finalizar, ressalvo que a abordagem fenomenológico-existencial procura ampliar a percepção numa base realista, não adianta querer voar se não se têm asas, mas compreender seu modo de existir, seu lugar no mundo, tentando ampliar essas possibilidades até a liberdade almejada para além dos paradigmas exigidos e valorizados.

 Por Valéria Fátima da Rocha

A ABESO é uma sociedade multidisciplinar sem fins lucrativos que reúne cerca de 500 associados espalhados por todo o país, das diversas categorias profissionais envolvidas com o estudo da obesidade, da síndrome metabólica e dos transtornos alimentares: endocrinologistas, nutricionistas, clínicos gerais, cardiologistas, psicólogos, psiquiatras, cirurgiões, pediatras, nutrólogos, professores de educação física, fisioterapeutas, etc. 

Qual a nossa missão?

Promover pesquisa em obesidade. Promover oportunidade de disseminar estas pesquisas e os conhecimentos delas advindas entre os interessados. Disseminar, em todos os meios, o fato amplamente demonstrado de que a obesidade é doença, é um problema crescente, pode levar a óbito, e deve ser prevenida ou tratada com todos os meios disponíveis. Lutar para que a ética prevaleça no contato entre profissionais que tratam a obesidade e a síndrome metabólica e as pessoas tratadas, assim como para que prevaleça também na abordagem do assunto na mídia.

Acesse o link e conheça o trabalho da ABESO.

Ana Porto/Sergio Honorato
Gestores
Nit Portal Social
Planejamento, Gerenciamento, Monitoramento de Mídias Sociais para Empresas e Responsabilidade Social
Continue Lendo...

Leia também...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares